O desafio que procuravas

Desafia-te e desafia os teus amigos a participar na Subida ao Castelo de Lanhoso em Bicicleta
no próximo dia 18 de Setembro de 2016

Informações Inscrições

A Subida

Distância

A Subida tem 500 metros de distância.

Acumulado

O acumulado positivo da Subida é de 52 metros.

Rampa Média

A pendente média da Subida é de 11%.

Rampa Máxima

A Subida tem pendente máxima a rondar os 21%.

Mais informações

O Castelo

Sunday, April 10, 2016

O Castelo de Lanhoso



O Castelo de Lanhoso é um Monumento Medieval emblemático da conquista e formação do reino de Portugal que evoca D. Teresa, mãe de D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal.

História:
No alto do seu trono, na condição de vigilante do tempo e da história, o Castelo de Lanhoso é uma das principais referências culturais e patrimoniais do Concelho da Póvoa de Lanhoso.

A sua singularidade, pela forma como se afirma na paisagem (no pino do maior afloramento monolítico granítico conhecido), aliada à carga histórica e simbólica que encerra, aporta-lhe uma marca indelével na região e no país.

Marco incontornável na conquista e formação do reino de Portugal, ao contemplar-se o Castelo de Lanhoso é difícil não experimentar o imaginário de combates, lutas e batalhas históricas.

Uma das figuras intimamente ligada à história do Castelo é a da Rainha D. Teresa, mãe de D. Afonso Henriques, primeiro Rei de Portugal. Desde as suas responsabilidades, senão na edificação, certamente na sua reedificação, garantia dada pelo desdobramento da epígrafe visível no acesso à entrada da alcáçova assentei cumprindo ordens de Teresa, será já no séc. XII que o vínculo se estabelece de forma mais afirmativa, quando em diversos momentos esta fortaleza abriga D. Teresa.

Em 1121, regista-se o episódio do cerco que é imposto pelas forças de D. Urraca, sua irmã, que não consegue tomar de assalto o inexpugnável Castelo nem escapar ao arrojo dos cavaleiros portucalenses. Ambas as partes findam a contenda com a assinatura do Tratado de Lanhoso, em 1121.

Em 1128, derrotada na Batalha de S. Mamede, D. Teresa retorna ao Castelo de Lanhoso, impelida por seu filho, a caminho do exílio na Galiza. Deste episódio decorre o chamado Mito do Pecado Original, quando se diz que, logo após a Batalha de S. Mamede, D. Afonso Henriques, teria encarcerado a mãe nos subterrâneos do castelo (ainda desconhecidos).

Já em finais do século XII, o alcaide de Lanhoso, D. Rodrigo Gonçalves Pereira, após denúncia de infidelidade de sua mulher, D. Inês Sanches, para vingar a sua honra, regressado do campo de batalha, ordena que se incendeie o reduto fortificado, onde se encontravam a esposa adúltera, o amante (um frade beneditino do convento de St.ª Maria de Bouro), e demais populares cúmplices da pérfida traição que sofrera.

El-Rei D. Dinis, zeloso da manutenção e desenvolvimento dos seus domínios, outorga Carta de Foral à sua Póvoa de Lanhoso, datada de Coimbra, a 25 de Setembro de 1292, destacando a necessidade de garantir o controlo e eficácia de um baluarte militar estratégico, o que se confere pela continuidade de ocupação desde o remoto tempo de povoamentos castrejo e romano.

Em 1680, André da Silva Machado, um rico negociante no Porto, originário destas Terras de Lanhoso, obtém junto das autoridades locais, autorização para desmantelar parte das muralhas e barbacã da já velha fortaleza, utilizando as pedras para edificar um Santuário votado a Nossa Senhora do Pilar. Este santuário, composto por nove capelas, oito delas representando a Paixão de Cristo com esculturas em madeira, uma capela recordando o episódio da boa Samaritana e pela Capela do Senhor do Horto, constituiu um dos mais concorridos santuários marianos da região do Minho.

Quando no 2.º quartel do século XX se iniciaram as obras de restauro, promovidas pela Direcção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, do Castelo de Lanhoso quase só restava a sua Torre de Menagem.

Em 1996 a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso abre ao público a Torre de Menagem do Castelo de Lanhoso com as principais marcas e referências em termos de espólio resultante das descobertas que ao longo dos anos foram desenvolvidas, em 2011, é decisivamente transformado e adaptado a verdadeiro núcleo museológico e interpretativo da sua e nossa história.

Mais informações em www.mun-planhoso.pt.

Saturday, April 9, 2016

O Monte do Pilar



O Castelo de Lanhoso foi encontra-se no topo do Monte do Pilar, o maior monólito granítico da Península Ibérica.

Conhecer a Póvoa de Lanhoso



A Póvoa de Lanhoso é uma vila Portuguesa no Distrito de Braga, região Norte e sub-região Ave, com cerca de 4.600 habitantes. É sede de um município com 131,99 km² de área e 22.772 habitantes (2001), subdividido em 22 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Amares, a leste por Vieira do Minho, a sul por Fafe e por Guimarães e a oeste por Braga.

Para saber o que visitar, onde ficar, onde comer, onde se divertir, etc. visite o site da Associação de Turismo da Póvoa de Lanhoso em www.atpl.pt.

Vídeos

Vídeo Promocional da Subida ao Castelo de Lanhoso
Imagens aéras captadas pela PloAr
Mini-documentário sobre a Póvoa de Lanhoso
Copyright Comunidade Intermunicipal do Ave
110 Participantes
Evento limitado a 110 Participantes
8 Euros
Inscrição no valor de 8 Euros com várias ofertas no kit de participante e várias opções de inscrição.
17 Setembro
As inscrições encerram no final do dia de 16 17 de Setembro de 2016.

Informações

Acerca

A Subida ao Castelo de Lanhoso em Bicicleta é um evento anual para toda a família, em formato de contra-relógio, com uma distância de 500 metros e com inclinação média de 11% (a mini-subida para os mais novos terá menor distância e dificuldade). Os participantes podem usar qualquer tipo de bicicleta sem motor. O importante é participar, quer seja para conseguir o melhor tempo, para superar os tempos dos amigos ou simplesmente pelo divertimento. Contamos contigo! Mais informações aqui.

Local:

Castelo de Lanhoso, Rua do Pilar, 4830-597 Póvoa de Lanhoso

Data e Hora:

Domingo, 18 de Setembro de 2016, às 9h

Powered by Blogger.